passaporte português

Cidadania portuguesa: 8 formas de obter um passaporte português

A cidadania portuguesa tem inúmeras vantagens. Estes benefícios incluem o direito a viver em Portugal, a trabalhar em Portugal e a estudar em Portugal. Mas como o passaporte português é um“passaporte da UE“, possuir um passaporte português dá-lhe o direito de viver, trabalhar e viajar dentro da UE também.

A Henley & Partners classifica o passaporte português em 4º lugar no mundo, a partir de 2024, tal como o Passport Index.

A forma mais comum de obter a cidadania portuguesa é mudar-se para cá e requerer a cidadania através da naturalização após cinco anos de residência legal. No entanto, se tiver um pai, avô, cônjuge ou parceiro português, pode conseguir obter a cidadania portuguesa ainda mais rapidamente. Em casos muito específicos, pode mesmo obter a cidadania portuguesa através dos seus filhos.

De seguida, apresentamos as principais formas de obter a cidadania portuguesa.

Nenhum campo encontrado.

Naturalização (Viver em Portugal)

Carvoeiro
© Portugalist

A forma mais comum de obter a cidadania portuguesa é viver em Portugal durante cinco anos (anteriormente seis). Noutros países, como a Espanha, o requisito é normalmente de 10 anos.

Não é necessário que sejam cinco anos consecutivos, embora isso seja típico. Esses cinco anos podem ser cumpridos num período de 15 anos [fonte].

Para se mudar para Portugal e viver cá durante esses 5 anos, terá de obter a residência.

  • Se for de outro país da UE/EEE ou da Suíça, isso será relativamente fácil[fonte].
  • Também será relativamente fácil se for casado com um cidadão de um país da UE/EEE ou se tiver uma relação duradoura[fonte].

Tem um passaporte dos EUA, Canadá, Reino Unido, Índia ou de qualquer outro país? Não se preocupe! Mesmo que não tenha um passaporte da UE/EEE/Suíça, ou um parceiro de um destes países, vale a pena referir que Portugal é um dos países da UE mais fáceis de se mudar, graças aos vistos de residência que pode obter.

Estes vistos incluem:

  • O D7: Destinado àqueles com um rendimento passivo, como o rendimento de uma pensão, segurança social, dividendos ou uma propriedade de aluguer.
  • Ovisto de nómada digital: Destina-se a trabalhadores remotos e nómadas digitais, ou a pessoas com um rendimento ativo, como um salário ou rendimentos provenientes de trabalho independente.
  • OGolden Visa: Destinado a investidores ou a pessoas com poupanças. A via mais popular é o investimento em fundos, como os fundos de capital de risco.
  • O D2: Destina-se a empresários ou a quem pretenda criar uma empresa em Portugal.

A partir de 2024, o prazo para obter a nacionalidade por naturalização (residir em Portugal) começa a contar a partir do momento em que se apresenta o pedido de visto de residência no país de origem – e não quando se recebe o cartão de residência, como anteriormente.

Embora a obtenção da cidadania por naturalização exija que viva em Portugal cerca de seis meses por ano durante cinco anos (a menos que esteja a beneficiar do visto dourado, ver abaixo), continua a ser mais rápida e mais simples do que obter a cidadania através de outro país da UE.

PaísAnosDupla cidadania permitidaNível linguístico
Portugal5SimA2
Espanha10NãoA2
França5SimB1
Alemanha6-8 anosNãoB1
Itália10SimB1
  • Tempo necessário: 5 anos de residência em Portugal (período de processamento)
  • Requisitos linguísticos: Sim: A2(ver pormenores)
  • Outros requisitos: Registo criminal limpo, ou seja, não estar envolvido em qualquer crime punível com pena de prisão.

Saiba mais sobre a obtenção da cidadania portuguesa através da naturalização

Vale sempre a pena obter a cidadania?

Tenho 78 anos, sou americano e vivo há 6,5 anos em Portugal. Posso requerer a cidadania, até consultei um advogado. Só preciso de passar por alguns obstáculos (e taxas e traduções dispendiosas) para iniciar o processo, que pode demorar anos. Por isso, pergunto-me: porquê dar-me ao trabalho na minha idade? Já não preciso de flexibilidade para me deslocar e trabalhar noutros países da UE, não preciso de votar aqui. Por isso, penso que a idade é um fator a ter em conta. Esta é a minha pergunta para os expatriados mais velhos. Cidadania versus residência permanente. Porquê dar-se ao trabalho?

Helen

A cidadania portuguesa tem algumas vantagens. A principal é que lhe dá o direito de viver, trabalhar e reformar-se noutros países da UE. No entanto, se está a pensar ficar em Portugal para sempre, será que a residência permanente é suficiente?

Muito possivelmente, sim. A cidadania é um pouco melhor do que a residência permanente, uma vez que existe sempre a possibilidade, embora mínima, de a renovação da residência ser recusada, ao passo que a cidadania não lhe será retirada. Também não é necessário renovar a cidadania, ao passo que a residência permanente tem de ser renovada de 10 em 10 anos. Os cidadãos também têm um pouco mais de facilidade com a papelada do que os residentes, devido à introdução do cartão de cidadão, mas espera-se que o governo torne esta situação mais uniforme para os residentes permanentes e os cidadãos no futuro.

Há também a possibilidade de mudar de ideias e decidir viver em França ou em Espanha, altura em que teria de esperar vários anos para obter o passaporte português. Nunca se sabe o que o futuro nos reserva.

No entanto, se tem a certeza de que vai viver em Portugal, talvez não valha a pena pagar os custos da obtenção da nacionalidade.

A Rota Dourada dos Vistos

Luxury villa
© DepositPhotos

O visto dourado é essencialmente uma parte da rota de naturalização, mas está incluído na sua própria secção aqui por ser ligeiramente diferente: enquanto vistos como o D7 e o visto de nómada digital exigem que passe uma média de 6-8 meses em Portugal, o visto dourado apenas exige que passe uma média de apenas 7 dias por ano em Portugal.

Isto torna o visto dourado perfeito para aqueles que querem obter a cidadania portuguesa, mas não querem mudar-se para Portugal. De facto, como só precisa de passar 1-2 semanas do ano em Portugal, nem sequer precisa de se tornar um residente fiscal. Isto significa que pode continuar a viver e a trabalhar noutro local e a pagar impostos nesse local, enquanto trabalha para obter um passaporte português.

O investimento pode assumir muitas formas, mas, para muitas pessoas, a opção mais simples é investir 500 000 euros num fundo de investimento qualificado (em alguns casos, pode ser apenas 400 000 euros). Estes fundos têm uma maturidade mínima de 5 anos e exigem que 60% do montante do investimento seja investido em empresas portuguesas.

Embora esta via acabe por conduzir à cidadania, o visto dourado é visto como uma residência por investimento e não como uma cidadania por investimento, uma vez que a etapa da cidadania é efectuada separadamente.

Para além dos fundos, outras opções incluem:

  • investimento de 500 mil euros em investigação científica
  • Um investimento nas artes, na cultura ou no património nacional de, pelo menos, 250 mil euros

Tal como as outras vias de naturalização, esta via exige que seja residente em Portugal durante cinco anos antes de requerer a cidadania. Além disso, é necessário passar no exame de língua A2.

  • Tempo necessário: 5 anos de residência em Portugal (período de processamento)
  • Custos: 250 000 a 500 000 euros (taxas adicionais)
  • Requisito de língua para a cidadania: Sim: A2(ver pormenores)
  • Outros requisitos: Registo criminal limpo, ou seja, não estar envolvido em qualquer crime punível com uma pena de prisão.

Leia mais sobre o programa Golden Visa de Portugal

A via de origem (pais ou avós)

Portuguese older people
© DepositPhotos

Se tiver a sorte de ter um pai ou avô português, poderá adquirir a cidadania portuguesa por descendência.

Os bisavós são normalmente considerados demasiado antigos, no entanto, normalmente é possível contornar esta situação fazendo com que os seus pais ou avós obtenham primeiro a cidadania (assumindo que estão vivos e são capazes de o fazer).

Esta é uma das vias mais simples para obter a nacionalidade portuguesa, uma vez que, muitas vezes, apenas é necessário obter documentos como certidões de nascimento e de casamento. No entanto, é necessário apresentar um registo de nascimento e de casamento do familiar (ou familiares) português.

Aos que têm avós portugueses (e não têm pais portugueses) será pedido que demonstrem mais laços com Portugal, nomeadamente um conhecimento A2 do português e laços com a comunidade portuguesa. Isto é muito viável, mas requer trabalho.

Se está a pensar em mudar-se para Portugal de qualquer forma, a advogada Sandra Gomes Pinto, de Lisboa, sugere que pode ser mais fácil conseguir estes requisitos depois de se mudar para Portugal.

Se estiver a pedir a nacionalidade através de um avô, terá vantagem em fazê-lo depois de se mudar para Portugal. Isto porque, estando cá, terá mais laços com a comunidade portuguesa e será mais fácil aprender a língua portuguesa.

Sandra Gomes Pinto [fonte]

Os vistos de residência, como o D7 ou o D8, são muitas vezes aprovados no prazo de seis meses[fonte] contra os cerca de dois anos necessários para a cidadania, pelo que este é também o caminho mais rápido inicialmente.

Pode ser um desafio para aqueles que não têm contacto com os pais e ainda mais para aqueles que precisam das certidões de nascimento e casamento dos avós, uma vez que estas se perdem com o tempo. O pedido pode ser feito em Portugal, mas a maior parte das pessoas faz o pedido no país de residência.

  • Tempo necessário: Não é necessário residir em Portugal
  • Requisitos linguísticos: Português Pais: não, Português Avós: Nível A2 ou superior
  • Outros requisitos: Registo criminal limpo, ou seja, não estar envolvido em qualquer crime punível com pena de prisão.

A via do casamento ou do parceiro

Children in wedding outfits
© DepositPhotos

Se o seu parceiro ou cônjuge for português, pode obter a cidadania portuguesa através dele. Também pode candidatar-se se tiver uma relação duradoura com um cidadão português (conhecida como união de facto em Portugal) há três anos ou mais. Os casais em união de facto também têm de provar que são realmente um casal e que vivem em união de facto. Para tal, podem apresentar documentos que provem que vivem na mesma morada, partilham contas, etc.

Não é necessário viver em Portugal durante esses três anos. Após o divórcio, deixa de ser elegível.

Isso significa que está na altura de entrar no Match.com? Não é bem assim. Se já viu comédias românticas como The Proposal ou The Green Card, sabe que o casamento para obter a cidadania não é tratado com ligeireza nos gabinetes governamentais que processam estes pedidos.

É também de salientar que o facto de ser casado ou ter uma relação com um português não significa que tenha o passaporte garantido. No caso da via matrimonial, é muito importante demonstrar a sua ligação a Portugal e à comunidade portuguesa.

Exemplos de laços com Portugal podem incluir:

  • Ter um conhecimento básico (A2 ou superior) de português.
  • Ser proprietário de um imóvel em Portugal.
  • Viver no país.
  • Estar envolvido em clubes e organizações portuguesas.

Quanto mais laços puder demonstrar, melhor.

Ter um conhecimento A2 de português não é um requisito definitivo, mas a muitos leitores da Portugalist que se candidataram por esta via foi pedido um certificado para provar a competência linguística.

Se está a pedir a nacionalidade como forma de se mudar para Portugal, pode ser mais rápido pedir um visto de residência, como o D7 ou o D8, uma vez que estes são frequentemente aprovados no prazo de seis meses[fonte].

  • Tempo necessário: 3 anos de casamento ou de relação duradoura
  • Requisitos linguísticos: Nem sempre, mas muitas vezes é exigido um nível A2(ver pormenores)
  • Outros requisitos: Registo criminal limpo, ou seja, não estar envolvido em qualquer crime punível com uma pena de prisão.

A Rota dos Judeus Sefarditas

Por vezes, vale a pena entrar no site Ancestry.com – especialmente se pensa que pode ter uma herança judaica sefardita.

Durante o período da inquisição, milhares de judeus fugiram da Península Ibérica. Para corrigir um erro, Portugal está a oferecer a cidadania aos antepassados daqueles que tiveram de deixar Espanha e Portugal. A Espanha tinha um esquema semelhante, mas entretanto encerrou-o.

Não é necessário remontar a árvore genealógica até à Península Ibérica do século XV, mas é preciso ir suficientemente longe para mostrar que se tem raízes judaicas sefarditas. Algumas pessoas só precisam de recuar algumas gerações, enquanto outras terão de recuar muito mais.

Alguns dos laços que são usados para mostrar que tem ascendência judaica sefardita incluem:

O documento mais valioso, no entanto, é o certificado da Comunidade Judaica Portuguesa em Lisboa.

Infelizmente para muitos, as regras mudam em 2022 e agora são necessários laços mais fortes. Os requerentes terão agora também de demonstrar

  1. Que já têm uma propriedade em Portugal.
  2. Que detêm acções ou participações sociais em sociedades comerciais ou cooperativas portuguesas.
  3. Que efectuaram viagens regulares a Portugal ao longo da sua vida.

Em 2024, a lei poderá ser alterada, passando a ser necessário viver em Portugal durante três anos para obter a nacionalidade. Este período é mais rápido do que os cinco anos normalmente exigidos para a naturalização, mas significa que a obtenção da cidadania pela via sefardita já não é tão fácil como era no passado.

Se tiver estes laços, é uma via que vale a pena explorar. No entanto, é pouco provável que a maioria das pessoas satisfaça os novos critérios.

  • Tempo necessário: Atualmente, não é necessário passar algum tempo em Portugal, mas o período de processamento deve demorar entre 6 e 24 meses.
  • Requisitos linguísticos: Não (embora possa ajudar a demonstrar uma ligação a Portugal).

Ler mais sobre a cidadania portuguesa por herança sefardita

A rota das antigas colónias

macau

Portugal tem relações especiais com os antigos territórios portugueses, incluindo Angola, Cabo Verde, Índia Portuguesa, Guiné-Bissau, Timor-Leste, Macau, Moçambique, São Tomé e Príncipe. Parte desta relação especial inclui um acordo segundo o qual os membros das antigas colónias podem requerer a cidadania portuguesa.

Na maioria dos casos, existe (ou existia) um limite de tempo durante o qual os cidadãos destes países podiam solicitar a manutenção da nacionalidade portuguesa, pelo que esta pode já não ser uma opção para si.

De acordo com Sandra Gomes Pinto, “a regra geral é que se a pessoa nasceu antes da independência de Portugal, ainda é possível. Em alternativa, se a pessoa for filha de um progenitor que tenha nascido antes da independência de Portugal.

“No entanto, há muitas vezes desafios adicionais em termos de documentação. O acesso às certidões de nascimento deste período pode ser muito complicado, uma vez que muitas vezes se perderam. Também é comum as pessoas mudarem de nome ou apelido, o que acrescenta mais uma camada de complexidade.”

Sandra refere ainda que obter os documentos necessários das antigas colónias portuguesas pode ser um desafio. Os documentos estão muitas vezes danificados ou são inexistentes, uma vez que os registos formais eram menos comuns nessa altura.

A rota dos nascidos em Portugal

Embora ter nascido num país seja um direito garantido de cidadania para muitos países, em Portugal não é assim tão simples.

De acordo com Sandra Gomes Pinto, da Sandra Gomes Pinto & Associados, “é obrigatório que um dos progenitores tenha residência legal em Portugal há pelo menos um ano. Em alternativa, se um dos progenitores tiver nascido em Portugal, isso também conta.”

A via da adoção

Farto dos seus pais? Encontre uns pais portugueses que o adoptem e poderá tornar-se um cidadão português.

Se for adotado por pais portugueses, pode pedir a nacionalidade portuguesa. Infelizmente, tem de ter menos de 18 anos: a lei portuguesa não prevê a possibilidade de os pais portugueses adoptarem alguém com mais de 18 anos.

Perguntas frequentes

Existe um exame de cidadania?

Não. Enquanto os EUA têm o teste American Civics e o Reino Unido tem o teste Life in the United Kingdom, Portugal não tem um teste semelhante.

Preciso de comprar um imóvel para obter a cidadania?

Não é necessário adquirir bens imóveis para obter a cidadania, embora isso possa ajudar a demonstrar que tem laços com Portugal (se necessário)[fonte].

Portugal reconhece a dupla nacionalidade?

Portugal reconhece a dupla nacionalidade, pelo que, ao contrário de outros países europeus, Portugal não lhe pedirá que renuncie a qualquer outro passaporte de que seja titular[fonte].

Terei obrigações fiscais se me tornar cidadão português?

A obtenção da nacionalidade portuguesa também não implica obrigações fiscais[fonte].

Quanto tempo demora a obtenção da cidadania portuguesa?

O tempo de processamento atual é de cerca de dois anos[fonte]. Isto significa que, se pedir a nacionalidade através da naturalização (vivendo em Portugal), demorará cerca de sete anos até obter o passaporte: cinco anos de residência mais cerca de dois anos de processamento.

Devo recorrer a um advogado?

Pode ser mais rápido trabalhar com um advogado, uma vez que:

  • Trabalhar com um advogado garante que o pedido está correto e tem a maior probabilidade de ser aprovado.
  • Os advogados podem apresentar o pedido por via eletrónica, o que pode reduzir o tempo em algumas semanas ou meses, uma vez que pode demorar algum tempo até que os seus documentos sejam digitalizados. Um advogado, por seu lado, pode apresentá-los em formato digital.
  • O advogado também pode ver em que fase do processo se encontra, o que é importante, uma vez que todo o processo pode demorar cerca de dois anos. Se for o próprio a apresentá-lo, a digitalização dos documentos pode demorar mais tempo, aumentando o tempo necessário, e não saberá o que se passa com o seu pedido.
  • No caso de o processo estar a demorar demasiado tempo, um advogado tem também o poder de pedir uma atualização e, em casos extremos, uma injunção administrativa[fonte].

Recursos


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *